G

Geradores de insumo

Atividades conduzidas durante os processos de ensino e aprendizagem de línguas que são capazes de levar alunos e professores a interagirem mais e, por conseguinte, produzirem mais linguagem do tipo que dá mais chances para que a aquisição ocorra.

V. tb.: Insumo, interação para aquisição, Insumo ótimo.

Glossário

Acervo de termos especializados de uma área acadêmica ou profissional.

V. tb.:Vocabulário, Taxonomia, Competência teórica.

Gramática Comunicativa

Tipo de arranjo da estrutura gramatical, geralmente para fins de aprendizagem focada no sentido em comunicação, relacionando sistematicamente a forma a categorias de usos e situações.

V. tb.:Comunicação, Abordagem Comunicativa.

Gramática Internalizada

Conjunto de regras e tendências regularizadoras de uma língua que foram adquiridas por um falante nativo ou aprendiz de uma segunda língua e que está disponível para com elas se deem relações sociais cotidianas num grupo ou comunidade linguística. Oconjunto de regras que o falante domina para, com elas, construir novos sentidos em seu cotidiano de usos.

V. tb.: Abordagem Gramatical, Abordagem Comunicativa, Gramática Normativa ou Tradicional.

Gramática Tradicional

Tipo de gramática largamente produzida e utilizada na escolarização e como referência pelo grande público caracterizada por critérios nocionais que mesclam categorias de estrutura frasal com aspectos semânticos de uso.

V.tb.: Gramática internalizada.

Gramática Universal

Construto do movimento gerativista chomskyano que pressupõe uma estrutura única para todas as línguas humanas. Segundo se postula, a existência de uma Gramática Universal (GU) equivale a afirmar que os seres humanos nascem com uma capacidade cerebral de desenvolver e aprender línguas por meio de poucos e limitados estímulos.

V. tb.: Nativismo linguístico, Nativismo psicológico-cognitivista, Interacionismo.

Grande Área da Linguagem

Área maior dos Estudos da Linguagem, conhecida tradicionalmente como Área de Letras ou Letras e Linguística, que abrange a Literatura, a Linguística e a Linguística Aplicada.

V. tb.: Letras, Linguística Aplicada, Linguística, Literatura.

Grau de Refinamento

Extensão do avanço da aquisição de uma nova língua ou mesmo da L1 indiciado por sutilezas da forma e da comunicação adequada já demonstradas pelo aprendente de uma L2 ou pelo aluno de L1 expandindo seu repertório básico.

V. tb.: Aquisição de Segunda Língua, Expansão de repertório de uma L1.

Gravação de Aula

Procedimento fundamental de apreensão e registro de aulas observadas com o intuito de embasar análises reflexivas na formação e a pesquisa aplicada no âmbito da Aquisição e Ensino de Línguas.

V. tb.: Pesquisa aplicada, Método reflexivo para a formação.

Gravidade do Erro

Índice de agravamento social de erros cometidos pelo aprendiz de uma segunda língua ou língua estrangeira quando em contexto de comunicação com falantes competentes ou falantes nativos da L-alvo.

V. tb.: Erro, Interlíngua, Desempenho linguístico-comunicativo.

Grupo de Controle

Num experimento de base quantitativa estatística, o grupo de controle é aquele que não recebe o tratamento do grupo experimental (embora pareça recebê-lo) e vai servir para determinar se os resultados do grupo experimental são válidos e confiáveis.

V. tb.: Grupo experimental, Pesquisa quantitativa positiva. 

Grupo Experimental

Nos experimentos ditos científicos (quantitativos experimentais), o grupo experimental é o que recebe o tratamento específico cujos resultados se quer observar ou provar.

V.tb.: Grupo de controle, Pesquisa qualitativa.