Hi guys!

E então, curtiram nosso 1º texto? Desejo que sim!
É importante saberem que sou aberta a sugestões e indicações de melhorias, ok?
Aliás, gosto mesmo de fazer a linha Gilberto Gil: “Eu quero entrar na rede e promover um debate.” Rs

O tema de hoje é: Machismo, sobretudo, com as mulheres LGBTT.

O motivador dessa conversar foi a triste notícia de uma garota na Bahia que foi agredida violentamente por ter "cara de sapatão", de acordo com a opinião do agressor. O pior não foi só isso, foram as pessoas que passaram por ela, viram a agressão e não fizeram nada porque poderia ser o companheiro dela. Oi?!? Como assim??? 

Para debater sobre o assunto, vamos continuar com aquele esquema de perguntas e respostas:

O que é machismo e o que é machismo com as mulheres LGBTT?
De acordo com o dicionário, machismo é um comportamento de quem não admite a igualdade de direitos para o homem e a mulher.

Machismo é crime?
Infelizmente, ainda não. Mas há projetos que abrangem a criminalização do machismo na legislação brasileira.

Existe alguma lei que protege a mulher de alguma forma?
Sim, a Lei Maria da Penha n° 11.340/2006. Essa protege a mulher da violência doméstica e familiar.
A desigualdade entre homens e mulheres é tão enraizada que reflete em aprendizados primários que temos desde a nossa infância: há coisas de meninos e coisas de meninas, ou seja, cores para meninos e outras para meninas, menino brinca com carrinho e menina com boneca – inverter esse padrão, jamais!
O machismo começa aí, e ao longo da vida vai ficando muito mais complexo. Veja alguns pontos:

- Machismo é toda opressão social feita às mulheres de maneira indireta e diretamente.
- Uma mulher ter o mesmo cargo que um homem e ter salário inferior, é machismo.
- Uma mulher ser submetida a assédios na rua e em qualquer outro lugar, como se isso fosse natural e prazeroso, é machismo. Convenhamos que elogios sejam bem vindos, mas um “Ô lá em casa!” em plena rua é muito desagradável.
- Machismo é dizer que uma mulher bissexual é indecisa e que “gosta de sacanagem”.
- Machismo é dizer que uma mulher é lésbica porque nenhum homem “a pegou de jeito”.
- Machismo é dizer que mulheres trans não são mulheres.
- Machismo é dizer que lugar de mulher é na cozinha.
- Machismo é molestar uma mulher no metrô e quando ela reclamar, o homem exclamar “Você bem que queria, você estava gostando!”.
- Machismo é colocar o falo (órgão sexual masculino) como o Tridente de Poisedon (Deus Grego) acima de tudo e de todos.

Tenho um exemplo bem clássico de atitude machista com as mulheres LGBTT:
Se tiver um casal heterossexual trocando carinhos, nenhum homem em sã consciência gritará um “Que delícia, hein!”, entretanto, quando o casal é lésbico, isso é comum!

O que me faz concluir que a Ideologia Machista tem dois mandamentos básicos:
1º Mulheres são inferiores aos homens.
2º Mulheres estão no mundo para satisfazer os homens, seja como for.

É importante entendermos que mesmo que uma mulher não pertença ao grupo LGBTT, ela pode sim ser vítima de machismo, pois independente da orientação sexual, existe um fator comum e crucial: SER MULHER.

A opressão começa quando nós, pequeninas e de vestidinhos, somos o tempo todo repreendidas pelos familiares a fecharmos as pernas com a simples justificativa de que “somos meninas”. Enquanto isso, os meninos são motivados a provar sua masculinidade e poder ao mostrar seu falo ao mundo, sem ainda ter conhecimento do que isso representa.

Todos aqui já devem ter visto um pai mostrando a foto dos testículos do filho recém-nascido e dizendo: “Esse é macho – testículo roxo!”, já com as princesinhas nada se refere à tonalidade e dimensão da vagina, tampouco, ao potencial de sua feminilidade e força. Aliás, o fato de ser mulher porque tem vagina nem é citado. Ela é mulher porque não tem pênis e só!

- Machismo é dizer que menina namoradeira não tem dignidade, enquanto rapaz garanhão é viril.
- Machismo é penalizar uma jovem pela gravidez precoce, sem sequer atentar-se que o bebê foi fruto de uma relação sexual entre ambos.

Jargões tais como “Prendam suas cabras porque meu bode está solto” são a mais clara representação do machismo. Proponho uma mudança no contexto: Conscientizemos nossas cabras e nossos bodes de que já é tempo de liberdade. Estupro, assédio sexual e moral são as mais claras representações do valor que é dado à mulher e ao homem na sociedade.

Se o homem sofre com o machismo? Sim, mas eles merecem um texto só deles, assim como nós! Quem sabe no próximo encontro.... rs

Eu, Maria Clara Paes, não quero de forma alguma plantar semente de ódio aos homens. A intenção é verdadeiramente mostrar às pessoas como o machismo afeta a sociedade de maneira nociva.

É importante esclarecer que o machismo existe por um contexto social e histórico, e para mudarmos isso, temos de conscientizar as pessoas num âmbito geral.

Nós, Educadores e pessoas que temos a oportunidade de ter acesso a informações e a repassar essas informações, temos de nortear os jovens de que existe um conservadorismo altamente prejudicial no desenvolvimento da nossa sociedade.

Machismo gera dor, violência e até morte!

A intenção aqui é promover a igualdade, o respeito e o amor (acima de tudo fraterno) entre os gêneros e grupos. Façamos!

Desejo que ser quem somos implique apenas em delícias e não em dores nem a mim, tampouco ao próximo.

A palavra de ordem é respeito e igualdade.

Obrigada pela leitura e até o próximo encontro!  

 

Maria Clara Paes
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Poeta de primeira viagem, escrevo no caderno, nos rascunhos, pela vida afora e coração adentro. Agridoce – tem que ter paladar! Louca por música e pelo Batman. Ora princesa, outrora batgirl, goy, birl, girltogirl, mas quem se importa? O importante é lacrar! Sou da Paes, sou Maria Clara. Vivo de amor profundo, já que o amor é a única revolução verdadeira. Chega mais que aqui tem jogo!

 

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Redução não, Educação sim

Redução não, Educação sim

Racismo I Medidas reparadoras I Educação

Racismo I Medidas reparadoras I Educação

A arte como inclusão de grupos marginali…

A arte como inclusão de grupos marginalizados pela sociedade.

O feminismo pelo olhar transgênero de La…

O feminismo pelo olhar transgênero de Laerte Coutinho

Feminismo com Valesca

Feminismo com Valesca

Vai ter Drag Queen, sim!

Vai ter Drag Queen, sim!

Machismo, sobretudo, com as mulheres LGB…

Machismo, sobretudo, com as mulheres LGBTT